Gerodontologia

Cerca de 20% da população portuguesa tem mais de 65 anos e Portugal é um dos países mais envelhecidos da UE. O envelhecimento, que antigamente era considerado um fenómeno, é hoje uma realidade da sociedade. As pessoas envelhecem e um dos desafios a esta faixa etária, em questões de saúde, é contribuir para que possam viver a sua vida com a máxima qualidade possível apesar das limitações que possam ocorrer, a saúde oral está incluída na área de Gerodontologia.

A Gerodontologia estuda os efeitos do envelhecimento na cavidade oral e abrange os diferentes métodos para promover a saúde, prevenir e curar as alterações da boca em idosos.

O tratamento ao paciente idoso exige um diagnóstico geral tendo em consideração o seu histórico médico por tratar-se de um grupo que requer vários tipos de cuidados devido a patologias próprias na terceira idade como o controle de hipertensão, diabetes ou doenças crónicas, a medicação consequente, mas também outras variáveis, tais como a capacidade de se moverem, o nível de socialização ou habilidades sensoriais (visão, audição) que permanecem.

Após o diagnóstico realizado de Gerodontologia, o médico dentista pode tomar medidas preventivas específicas para cada caso como o procedimento de uma boa higienização oral, o uso de flúor, entre outros, no caso de pacientes com riscos mais altos, são aplicadas medidas preventivas mais agressivas e um maior controle.

Potenciais problemas do paciente idoso analisado pela Gerodontologia:

  • Xerostomia – também conhecida como boca seca, é um sintoma relacionado com a falta de saliva sendo bastante comum em quem está sujeito a muita medicação. Pode causar dificuldade em comer e falar, tal como o aumento de cárie dentária, halitose (mau hálito) e a membrana mucosa da boca que fica mais exposta a infecções.
  • Cáries – com o avanço da idade a boca sofre alterações que podem dificultar uma boa higiene que provoca problemas nos dentes e tecidos circundantes.
  • Problemas nas próteses – questões como a qualidade da superfície de contacto da prótese com os tecidos de suporte, as relações oclusais, a idade das próteses e a higiene das mesmas são de extrema importância, já que são os principais factores de risco para o aparecimento de lesões da mucosa oral associada ao uso de próteses. Os hábitos incorrectos como utilização das próteses durante o sono e uma má higienização das próteses estão significativamente associados à ocorrência de estomatite protética.
  • Lesão da mucosa da boca – o risco de lesões na terceira idade pode ter inúmeros factores como próteses mal adaptadas, álcool, fumo entre outros. É importante a observação de variações, anomalias e traumas da mucosa oral bem como alterações da língua, lábios, glândulas salivares, infecções, alterações orais de etiologia possivelmente possivelmente auto-imune e outras doenças na mucosa da boca.
  • Periodontite – problema relacionado com a inflamação da gengiva que se agrava e leva à perda do osso de suporte dos dentes, deixando-os amolecidos ou ainda, em casos mais graves, provocando a perda dos mesmos.

Gerodontologia

Sendo a perda dentária a grande consequência de problemas orais, especialmente numa idade mais avançada, e de forma a alcançar uma qualidade de vida relacionada com a saúde oral, a substituição dos dentes e suas estruturas adjacentes é feita através da colocação de próteses dentárias parciais ou totais, removíveis ou fixas tendo como objectivo não só restituir a função mastigatória perdida, corrigir alterações estéticas existentes, melhorar a dicção, bem como prevenir que os dentes não sofram alterações de posição o que os tornaria mais susceptíveis ao aparecimento de cáries dentárias e problemas periodontais.

E porque nesta etapa da vida, é comum surgirem algumas limitações físicas é colocado em consideração ao paciente o tempo de demora da consulta de Gerodontologia já que pacientes debilitados não devem permanecer sentados por muito tempo, o horário da consulta tendo em conta que os pacientes de Gerodontologia com problemas cardiovasculares não devem ser consultados antes das 9h, o posicionamento na cadeira odontológica entre outros factores que promovam ao paciente idoso um bem-estar durante os tratamentos.

A auto-estima é hoje considerada uma razão fundamental para uma vida útil e feliz nos últimos anos de existência em que se destaca a importância da manutenção do sorriso para um melhor relacionamento com o meio em que o indivíduo vive, tornando-o mais feliz e melhorando a sua saúde geral, e a Gerodontologia ajuda-o nisso.