Fobia Dentista – 5 Dicas


A fobia de ir ao dentista, ou odontofobia, afeta uma grande parte da população, e consequentemente, os seus cuidados de saúde oral.

A odontofobia pode ser classificada da seguinte forma:

  • Dor – O medo da dor é muito comum nos adultos, isto porque as primeiras consultas odontológicas aconteceram na infância onde os tratamentos eram muitas vezes dolorosos. Nos dias de hoje não é tão comum devido ao avanço dos meios ao dispôr do Médico Dentista.
  • Ansiedade Odontológica – Por norma desenvolve-se durante a infância, onde as crianças sentem medo de pessoas e objetos estranhos. Com o crescimento, tendencialmente desaparece.
  • Vergonha – Muitas pessoas sentem vergonha das consequências que a ausência de cuidados de saúde oral acarretou. Devido ao facto do contacto com o médico durante os tratamentos ser muito próximo, pode causar algum desconforto e ansiedade.
  • Experiências negativas – Qualquer pessoa que tenha passado por um tratamento  odontológico e tenha sentido desconforto e/ou dor, provavelmente estará mais ansiosa numa próxima vez.

Em grande parte dos casos a odontofobia é desencadeada por experiências traumáticas anteriores no dentista. 

O médico dentista por sua vez, desempenha um papel preponderante na abordagem com o paciente. Deve ter o cuidado de estabelecer uma relação próxima e de segurança com o paciente para que este se sinta confortável em expressar os seus medos e ansiedades, inclusive durante o tratamento.

As consultas de rotina, para além da importância na prevenção de problemas de saúde oral, ajudam a diminuir a ansiedade associada a toda a rotina. São aconselhadas consultas de rotina e de higienização anualmente, que deverão ser indolores e não invasivas. 

5 Dicas que lhe permitem gerir o medo das consultas de dentista

  • Ao marcar consulta no próprio dia do tratamento, consegue dormir de forma mais descansada, diminuindo assim a ansiedade acumulada.
  • Marque consulta num dia preferencialmente calmo, de forma a evitar frustrações do dia a dia e situações de stress.
  • Esclareça todas as suas dúvidas antes do tratamento, fale com o médico e exponha os seus receios e experiências. Certamente irá ter todas as respostas que necessita, o que irá aumentar os seus níveis de confiança.
  • Não sinta vergonha/timidez em enfrentar o medo, seja espontâneo.
  • No final do tratamento analise cada pormenor com o seu médico para que a próxima consulta seja ainda mais agradável.

Em todos os casos em que o paciente sofre com ansiedade/fobia de ir ao dentista, superamos as expectativas e melhoramos a qualidade de vida, que é no fundo o nosso objetivo primordial. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *